Segunda, 15 Janeiro 2018 11:03

Vacinação contra a Febre Amarela deve ser agendada nas Unidades de Saúde

Vacinação contra a Febre Amarela deve ser agendada nas Unidades de Saúde Divulgação Min. Saúde

Os últimos casos relacionados à Febre Amarela registrados na região reacenderam o alerta para a doença. A Secretaria de Saúde de Piraí informa que possui doses contra a doença em todas as Unidades Básica de Saúde (UBS) da rede para aqueles que ainda não receberam a vacinação, e reforça a importância da imunização sobretudo à população que mora próximo a regiões de mata.

Os interessados em receber a vacina devem entrar em contato com a UBS do seu bairro para programar o atendimento. A prevenção é a melhor maneira de evitar a doença.

A imunização contra a Febre Amarela é realizada em indivíduos a partir dos 9 meses até os 59 anos de idade. Depois dos 60, caso a pessoa vá viajar para um local de risco ou tenha outra necessidade, é realizada uma avaliação médica para receber a vacina, que não pode ser aplicada em gestantes ou mulheres que estão amamentando bebês de até 6 meses; pessoas com doenças que causem imunodeficiência ou que utilizem de medicamentos imunossupressores,  e ainda quem teve reação anafilática na primeira dose tomada há anos. 

 

Transmissão

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano.

O vírus da febre amarela é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados. A doença não é passada de pessoa a pessoa. A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença.

Os macacos não transmitem a doença aos humanos. Os macacos podem representar um alerta às autoridades quanto à incidência da doença. Isso porque esses animais também são vulneráveis ao vírus, e a detecção de infecções em macacos ajuda na elaboração de ações de prevenção da doença em humanos.

A Secretaria de Saúde de Piraí informa que não há casos registrados na cidade, mas que  está em vigilância constante em ocorrências suspeitas,  bem como da mortalidade ou adoecimento de macacos. Os animais encaminhados para o laboratório de referência no ano de 2017, todos foram negativos para a doença.

Sintomas

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20% a 50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

Depois de identificar alguns desses sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas, e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

Diagnóstico

Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.

Tratamento

O tratamento é apenas sintomático, com cuidadosa assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para reduzir as complicações e o risco de óbito. Medicamentos salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que o uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico.

Prevenção

O Sistema Único de Saúde oferta vacina contra febre amarela para a população. Desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que vão viajar para essas áreas deve se imunizar.

Lido 799 vezes